Amor-próprio

Isto é um termo que ouvimos falar com muita frequência hoje em dia.
Amor-próprio é essencial ao desenvolvimento e bem estar emocional de qualquer ser humano e influencia as decisões mais importantes que tomamos nas nossas vidas, algo que muitas vezes aprendemos com muito custo.

Mas exactamente o que é amor-próprio?

Amor-próprio é a crença ou melhor, a noção de que és uma pessoa de valor, é ter uma percepção positiva de ti próprio e confiança em ti e no teu lugar neste mundo.

É ter o instinto de direccionar cada acção ao teu próprio bem estar e segurança, de uma forma que apoia o teu desenvolvimento pessoal – físico, psicológico e espiritual – e cresce através de acçōes benéficas e saudáveis, de aceitação, que tomamos para connosco próprios.

Mais abaixo estão alguns passos, que praticados, promovem directamente a auto-estima e amor-próprio.

1 – Ser mais auto-consciente. Pára para perceberes o que estás a pensar, o que sentes e o que queres. Quem tem amor-próprio é consciente de si próprio e age baseado nesse  conhecimento ao invés de tomar decisões para satisfazer as expectativas de outros.

2 – Faz o que é melhor para ti. Muitas vezes temos que virar as costas a algo que apesar de parecer agradável e excitante, vai contra aquilo que é melhor para nós. Escolhe o que te vai tornar mais forte, centrado e te ajuda a seguir em frente na vida. Quando te concentras no que é melhor para ti, é mais fácil virar as costas a padrōes de comportamento negativos que afectam a tua auto-estima e não te deixam progredir no teu auto-desenvolvimento.

3- Cuida de ti próprio. Cuidar do nosso bem-estar físico, da nossa saúde, aumenta o nosso amor próprio. Exercício, uma boa nutrição, dormir bem e uma vida social saudável, são hábitos que promovem e mantêm a auto-estima.

4 – Estabelecer limites. Saber definir os nossos limites em tudo. Saber dizer que não, no trabalho, amor ou em qualquer actividade que nos possa prejudicar de um modo físico, emocional ou até espiritualmente, é uma elevação de amor-próprio.

5 – Protegermos a nós próprios. Aprender a não deixar entrar as pessoas erradas na nossa vida. Infelizmente são muitas as vezes que deixamos entrar amigos falsos na nossa vida, pessoas que não nos apreciam verdadeiramente. Sabem, aqueles que só se lembram de nós quando querem ou precisam de alguma coisa. A vida é demasiado bela e curta para ser vivida em função desses dramas.

6 – Perdoa a ti próprio. Na maior parte das vezes, somos muito duros com nós próprios. Acabamos por nos castigar demasiado por erros que cometemos na nossa longa viajem de aprendizagem. Temos que aprender a a aceitar que não somos perfeitos para podermos nos aceitar por completo e amar a nós próprios. Praticar mais paciência com nós próprios quando falhamos. Lembra-te, não existem erros, apenas lições aprendidas.

7 – Vive com intenção. Temos muito mais auto-estima e auto-confiança quando sabemos o que queremos e vivemos a nossa vida com desejo, intenção e força de vontade no coração. O teu propósito não tem que ser claro, optar por viver uma vida saudável e com sentido já nos ajuda a fazer escolhas que suportem essa decisāo e nos ajudam a sentir bem connosco. Estabelece as tuas intenções, começa com pequenos objectivos e à medida que começares a alcançar cada objectivo, por mais pequeno que seja,  o teu amor-próprio irá aumentar.

Experimenta praticar um destes exercícios de amor-próprio e irás sentir uma sensação de bem estar e mais apreciaçāo por ti mesmo. Agora imagina praticar todos estes hábitos…

A verdade é que nāo podemos amar a ninguém sem nos amar a nós próprios, por isso,

sê amor e espalha amor.

 

 

Esperei…

Num tormento de ansiedade

aguardei por ti

e no vazio da saudade

esperei por ti.

Em cada momento que passou, esperei

na expectativa de uma única palavra

que nunca chegou.

O teu silêncio inesperado

arrasou comigo de imediato

mas o meu coração destroçado,

aprendeu a zelar por si próprio

com muito mais cuidado.

Na tristeza, aprendi a sorrir

e na fraqueza

a minha força vim descobrir.

Por isso, agradeço o teu silêncio e afastamento,

cada lágrima e todo o sofrimento,

porque hoje o meu coração…

É muito mais resistente.

S. Paiva.

Sussurra-me ao ouvido.

Vem,

aproxima-te de mansinho

e sussurra-me ao ouvido

diz-me suavemente, baixinho

o que queres de mim.

Diz-me que queres

impregnar a minha mente com o teu cheiro,

dominar todos os meus sentidos

e tomar posse do meu corpo.

Diz-me que queres a minha paixão nua e crua

sentir a minha pele na tua,

diz-me que vieste incendiar o meu coração.

Neste momento

fazer parar o tempo,

entregar-mo-nos perdidamente

à loucura e ao ardor,

ao encontro do desejo que nos consome com furor.

Os nossos corpos embebidos de suor

colados no nosso calor

e inundados na nossa emoção.

Vem…

 

A companhia da solitude

Às vezes a Alma precisa de se esconder

e todos os pensamentos recolher

para poder reencontrar

a sua mais pura faceta

e ao seu estado original voltar.

São nos momentos de silêncio e solidão

que encontramos a nossa verdadeira versão,

a mais pura e real do nosso ser.

A Lua torna-se a leal confidente

as Estrelas, um abraço permanente

e na almofada,

morrem inundados os nossos medos

porque choramos cada receio

libertando a Alma de qualquer refreio

para esta acordar, em pleno das suas forças

com o amanhecer.

Aprender a deixar a solitude ser a nossa companhia.

Para a Alma, não existe melhor guia

que ajude a renascer o coração.